Dicas para gravação de voz

Gravação é gravação. Parece uma afirmação idiota, mas quem já gravou sabe a pressão que é estar debaixo do “rec”. Maior ainda para os vocalistas (como eu), que dependem do bom funcionamento do corpo para uma boa performance. Muito pior quando o cantor chega em perfeitas condições, executa bem e vê seu “take” estragado por questões técnicas. Pensando nisso, elaboramos esse pequeno guia para não deixar que coisas simples atrapalhem a gravação da voz. Tomando algumas recomendações, basta cantar e não tem erro.

Fone de ouvido: seu melhor amigo

Os fones talvez sejam o maior ponto crítico na gravação da voz. Claro, são importantes na gravação de qualquer instrumento, mas se tratando de canto, existe uma diferença fundamental: o som vem de dentro de você.

Ter um fone de boa qualidade à mão é altamente recomendável, mas não é só isso. Existem algumas regras básicas para garantir uma boa execução por parte do cantor.

  • Ele se ouve perfeitamente?
  • O volume está adequado ao gosto do cantor?
  • Não pode ter o volume muito alto, pois causará desgaste auditivo muito rapidamente, o que fará com que o nosso vocalista deixe de perceber as nuances da música e mesmo sua afinação. Nesse caso, o melhor a fazer é interromper a gravação e deixar o cara “descansar” os ouvidos;
  • Mal-contato está fora de cogitação aqui. Fone que falha na hora da gravação atrapalha e desconcentra. Teste antes, aliás, teste tudo antes;
  • Cuidado com o excesso de agudos: eles também causam maior desgaste auditivo, chegando a causar irritação em algumas pessoas;
  • Por último, grave seco (sem nenhum efeito), mas se puder adicione um reverb no fone. Ajuda a dar segurança ao vocalista, pois a voz soará mais bonita que o de costume;

Som de fritura ou chiado? Clip

Diferentemente do áudio analógico, no mundo digital, o máximo de volume permitido é 0db. Passando disso, não tem jeito, distorce. Para evitar que isso aconteça, basta usar um “limiter” (veja nosso artigo sobre compressão). Ele irá comprimir tudo o que passar de um determinado nível de volume, que será próximo de 0db. Não queremos que passe desse volume certo?

Pop Filter

Quem já gravou voz sabe o transtorno que é ter a performance do vocalista arruinada por aqueles “pês” e “bês” que sobram na gravação. Isso acontece devido às características dos próprios fonemas, que demandam uma maior emissão de ar. Porém o que a maioria não sabe é que eliminar isso é muito fácil: basta utilizar um filtro de ar à frente do microfone (pop filter). Esse acessório, muito bem-vindo, custa em torno de R$90,00 a R$120,00 e pode ser encontrado facilmente em lojas de instrumentos musicais.

Faça você mesmo a sua e economize!
O segredo está em uma armação de metal circular recoberta por um tecido fino. Isso significa que se preferir, pode montar você mesmo o seu “pop filter” com um pedaço firme de arame ou fio de cobre e uma meia-calça. Não vai ficar tão bonito, mas o som será exatamente o mesmo.

Aquela esponja que junto do microfone serve?
Sim! É o mesmo princípio, com apenas um detalhe: como a espessura é maior que uma meia-calça, a tendência é ter uma diminuição das frequências agudas.

Não faça!

  • Não coloque a mão no microfone;
  • Não fique de um lado para o outro, se sentir aquela vontade irresistível de sair do lugar, marque com um giz a distância máxima até onde você pode ir para longe do microfone. Se variar muito, mesmo com compressão você corre o risco de ficar com a voz estranha e artificial.
  • Não encoste os lábios no microfone;
  • Não grave ou deixe que gravem sua voz com reverb ou qualquer tipo de efeito com exceção de uma leve compressão ou limiter;

Quem é o editor do Guia do Áudio?


O Guia do Áudio é mantido por Gabriel Guerra

Músico, compositor, produtor musical e publicitário.

Ficou curioso? Saiba mais sobre meus trabalhos:
SoundCloud | Youtube | Facebook | gabrielguerra.me


Produção musical? Produza seu CD comigo!

Já comentou?

Seu email não será publicado. Campos obrigatório marcados *

*

Topo da página